top of page
  • Foto do escritorDr.ª Sílvia Rocha

Plano de Aula - algumas considerações

A criação de um PLANO de AULA está vinculada ao Planejamento do Componente Curricular e/ou Ementa, ao Projeto Pedagógico Institucional e/ou Projeto Político Pedagógico da escola ou ao Plano de Curso, da Unidade de Ensino e a Matriz Referencial Curricular.

O PLANO de AULA é uma previsão das atividades que serão desenvolvidas em etapas, sequências ou projetos e em sintonia com os objetivos e conteúdos definidos. Mais do que uma organização da aula, o momento de planejamento implica numa atitude REFLEXIVA do professor/a e documenta a intensão inicial, implica pensar os conteúdos e os sujeitos dessa interação. ... O PLANO de AULA supõe flexibilidade para recriar e redirecionar conforme surgem os "imprevistos", entendidos como novos interesses e necessidades didáticas e de aprendizagem.

Um plano de aula expressa as concepções TEÓRICAS que sustentam as atividades docentes e oportuniza a organização cuidadosa dos detalhes que envolvem o ambiente do ENCONTRO.

O PLANO é uma parte do processo de planejamento. De forma objetiva e ORGÂNICA se sugere que apresente: o objetivo da aula, o conteúdo a ser compartilhado, a metodologia escolhida, as atividades a serem desenvolvidas, cronograma e a avaliação.

De maneira mais detalhada, sugere-se ao docente na escrita do Plano de aula que:

1. Reflita sobre o público-alvo: quem são os estudantes que irão aprender? Aqui cabe contextualizar e pensar sobre questões culturais, econômicas, físicas, sociais, principalmente, no contexto de crise gerada pela PANDEMIA.

2. Escolha o tema da aula: A definição do tema, Unidade Temática ou “assunto” que será abordado na aula e detalhado nas explicações e atividades tem como base o plano de ensino e/ou Matriz Referencial Curricular (onde estão descritos os objetivos de aprendizagem e habilidades a serem desenvolvidas por docentes e estudantes ao longo do ano letivo).

3. Defina o objetivo a ser alcançado: Os objetivos dividem-se em objetivos de ensino e objetivos de aprendizagem. Os objetivos de ensino definem-se pela ação do docente (o que o/a professor/a precisa fazer para facilitar a compreensão dos alunos/as em relação ao que for ensinado), por exemplo, num dos objetivos de Língua Portuguesa: “apresentar os palavras novas de uso frequente”.

Os objetivos de aprendizagem (o que os estudantes precisam desenvolver enquanto habilidades e conhecimentos) são expressos por verbos de ação discente. Na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), os objetivos de aprendizagem estão detalhados nas habilidades, por exemplo, “(EF12LP01) Ler palavras novas com precisão na decodificação, no caso de palavras de uso frequente, ler globalmente, por memorização”. É importante saber que não existe um limite de objetivos por plano de aula.

4. Defina o conteúdo a ser abordado: O conteúdo pode ser entendido como o objeto do conhecimento, o conceito ou o procedimento a ser aprendido/conhecido pelo aluno/a. Estritamente relacionado ao tema da aula e ao seu objetivo de aprendizagem.

5. Decida a duração da aula: Levando em conta o que se pretende atingir, quem decide a duração da aula é o docente. O tema abordado não necessariamente precisa acabar numa aula ou sequencia didática, pode ser que, o professor/a decida que determinado conhecimento precisa ser explorado em duas ou três aulas. E no contexto das aulas remotas, o docente precisa considerar que, o tempo da sala de aula não é o mesmo da casa.

6. Selecione os recursos didáticos: Os recursos, ferramentas ou instrumentos didáticos são os materiais que serão utilizados pelo docente e que, apoiam e auxiliam o desenvolvimento da aula. A escolha adequada dos recursos pode contribuir para o desenvolvimento de uma aula de sucesso (aquela que alcança os objetivos de ensino e aprendizagem). E também são utilizados para motivar os alunos e contribuir para a interação e mediação entre os envolvidos no processo. Nem todos os instrumentos e recursos utilizados nas aulas presenciais estão sendo utilizados nas aulas remotas. Quais instrumentos/recursos listados abaixo, você classificaria como potencias ferramentas para as aulas remotas?

Apagador - Aparelho de DVD – Cartaz – Computador – Filme – Jogo – Mapa – Música - Projetor - Quadro negro ou branco – Reportagem – Televisão – WhatsApp – Google Meet – Zoom – You Tube – Google Forms – Google Class –

Cada componente curricular demanda recursos específicos para cada ensino e aprendizagem e, essa escolha depende do objeto do conhecimento trabalhado. Um professor de Educação Física, por exemplo, pode precisar de uma bola ou mais espaço físico.

7. Defina a metodologia a ser utilizada: A metodologia é definida pelos métodos a serem utilizados ou caminhos que o docente escolherá para conduzir a aula. A escolha da metodologia é fundamental e deve estar em sintonia com os objetivos. O docente pode visualizar qual caminho facilitará o aprendizado dos estudantes. Para cada objeto do conhecimento há metodologias e estratégias mais indicadas e outras menos. Alguns exemplos de metodologia:

Aplicação de exercícios - Aula expositiva – Dramatização - Estudo de caso - Estudo dirigido - Estudo de texto - Mapa conceitual – Painel - Pesquisa de campo – Seminário- Solução de problemas.

8. Escolha como avaliar o aprendizado dos/as alunos/as: A avaliação é um ponto importante do Plano de Aula.

A avaliação (...) constitui-se em prática investigativa, instrumento de decisão sobre as atividades orientadoras de ensino que vêm sendo adotadas, de forma contínua, sistemática, expressa num movimento permanente de reflexão e ação.

Vale destacar que, como processo diagnóstico, implica na construção de estratégias de documentação/registro das ações pedagógicas. É importante que se constitua, ainda, num processo constante de diálogo entre os diferentes sujeitos envolvidos no processo educativo, a fim de que possibilite o (re)planejamento dessas ações no cotidiano escolar.

A avaliação educacional é um dos elementos fundamentais no percurso formativo (SANTA CATARINA, 2014, p.46).


Instrumentos de avaliação:

Participação do aluno em sala de aula - Prova escrita - Prova oral - Exercícios de fixação - Trabalho feito em sala de aula - Trabalho de casa – Escrita de textos

Vale lembrar: dado seu caráter formativo, a avaliação, contempla pelo menos três etapas: a de diagnóstico, a de intervenção e a de replanejamento.

9. Referências Bibliográficas: Indicar as referências utilizadas como fonte para a elaboração de seu plano de aula. O termo "referências" abrange além de livros e outros materiais impressos, os recursos digitais onde o professor/a consultou conteúdos.

Para o período das aulas remotas, vale destacar: os planejamentos precisam estar arquivados em forma de impressão ou no formato PDF, contendo data da criação da atividade e registro da carga horária das atividades encaminhadas aos estudantes, além de todos os itens que compõem um plano de aula.

Na Educação Infantil: Campos de Experiências, Direitos de Aprendizagem, Objetivos de Aprendizagem e desenvolvimento, metodologia ou estratégia, avaliação, referências Bibliográficas.

No Ensino Fundamental: Tema/Unidade Temática, Objeto do conhecimento, habilidades, metodologia ou estratégia, avaliação, referências bibliográficas.





95 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page